Gremistas de escolas estaduais e municipais de Campinas se conectam ao papel do aluno protagonista em encontros que reuniram cerca de 3 mil jovens

Realizada pela Fundação FEAC, Educar DPaschoal, Diretorias de Ensino Leste e Oeste e Secretaria Municipal de Educação, a iniciativa reforçou a importância do protagonismo nas comunidades escolares

Por Diana Azevedo

Foram dois dias de atividades e cerca de 3 mil jovens reunidos no auditório do Expo D. Pedro. A expectativa: contribuir para mudar a realidade de suas escolas e do mundo onde vivem. No primeiro dia de evento, o Semeando Atitudes, que mobilizou os grêmios dos 1º aos 5º anos do ensino fundamental, houve diversas apresentações e todas trouxeram a mensagem da importância de, desde cedo, ser um membro ativo na comunidade escolar.

O ápice do primeiro dia foi a apresentação dos físicos do “Ciência em Show”, Wilson NamenGerson Santos e Daniel Ângelo, que de maneira lúdica e divertida, usando os conceitos da física, fizeram diversos experimentos no palco do evento, relacionando as atividades da ciência ao que o grêmio representa.

Estudante gremista do 5º ano da EE Profª Leonor Zuhlke Falson, Arthur Amaral, 10 anos, enfatizou a importância desse coletivo nas comunidades escolares. “Eu acho que os grêmios são importantes pra gente mudar as escolas, deixar a escola mais limpa e saudável. Pra qualquer pessoa falar: ‘Ah, quero ir nessa escola!’ e a escola realmente ser um ótimo lugar pra aprender e estudar”, disse.

O grêmio representa os interesses dos alunos nas reuniões dos representantes de classe e do conselho escolar. É nesses momentos que o aluno se torna protagonista e leva as demandas estudantis para professores, direção e comunidade, além de participar de decisões que impactam diretamente na vida da escola.

“A participação estudantil tem impacto direto no pedagógico, o aluno tem conteúdo dentro de si, mas às vezes não consegue desenvolver. Quando esse lance do protagonismo começa a ser desenvolvido, então tudo começa a aflorar. Não sei se é uma mescla da idade, com o trabalho sendo realizado, que ele começa a evoluir de uma tal maneira que a gente nem espera, mas a gente vê”, completou Rodrigo Grigoletto, professor da EE Profª Leonor Zuhlke Falson.

Mas não são apenas os alunos e professores que enxergam essa importância. Antônio Admir Schiavo, dirigente Regional de Ensino da Diretoria Campinas Oeste, reconhece a enorme diferença que esses alunos gremistas trazem para as escolas, compartilhando suas ideias e se tornando cada vez mais ativos nas comunidades escolares. “O Grêmio é uma experiência que vai ficar marcada na vida deles. Se envolver nessa atividade desperta  o senso de responsabilidade e o desejo de mudar positivamente a realidade em que vivem”, comentou.

Para Nivaldo Vicente, dirigente Regional de Ensino da Diretoria Campinas Leste, não é diferente. Ele completa esse pensamento do colega reforçando que, além da participação dos alunos, mais importante é as escolas ouvi-los com clareza, pois eles sabem realmente o que precisam na sua comunidade escolar. Dar voz e vez aos alunos é essencial, pois assim eles compreendem que a escola é deles, e que eles são indispensáveis dentro desse universo. “A educação só é transformada a partir do momento que a gente realmente ouve e conhece esses alunos. Nós temos que protagonizar a nossa vida, independentemente da nossa idade. Esses alunos  trazem qualidade em tudo, nas suas mudanças na escola, mudanças na sociedade, e é assim que tem que ser”, completou.

No segundo dia foi a vez do Fala Jovem. Alunos do ensino Fundamental II e Médio lotaram o auditório com alegria e empolgação. A abertura das atividades, em ambos os dias, foi marcada pela apresentação instrumental do Projeto Primeira Nota, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação de Campinas e pelo Departamento de Música do Instituto de Artes da Unicamp. A atração musical agitou a plateia, que ainda foi presenteada com dança, beat box e apresentação dos MCs Pela Educação.

Laura De Brito é cantora e integrante do MCs Pela Educação, do Instituto Gerando Falcões. O grupo já esteve presente na edição de 2018 e segundo ela a experiência foi impactante e muito gratificante. Para Laura, mais importante do que tentar passar a palavra de motivação e de inspiração, é mostrar para esses alunos que o grêmio está lá todos os dias. “Estar aqui é maravilhoso, é uma oportunidade gigante, porque se a gente conseguir plantar uma sementinha no coração de cada um que tá aqui, é certeza que eles vão conseguir levar isso pra dentro das escola deles. E a gente acredita que de floquinho de neve em floquinho de neve, forma-se uma avalanche”, definiu.

Gabriel Salgado, do Criativos da Escola, uma iniciativa do Instituto Alana, falou para os jovens sobre o papel do gremista e apresentou iniciativas que nasceram em grêmios da região de Campinas que resultaram em transformações positivas nas comunidades escolares. “É muito importante perceber um movimento institucionalizado que envolve as redes municipais, estaduais e organizações da sociedade civil de Campinas legitimando e reconhecendo essa voz dos estudantes […] considerar essa potência que já existe nos jovens é pensar nessa participação não só para uma gestão democrática, mas também como ele efetivamente pode se envolver para propor soluções e alternativas para resolver problemas, melhorar a vida dele e do seu entorno”, relatou.

Segundo Raika Aquino, líder de projetos na Fundação FEAC, o intuito da  iniciativa é energizar e fomentar que os alunos acreditem no potencial de transformação social que cada jovem tem dentro de si e que  atuem em suas escolas de modo que grêmio cumpra de fato o seu papel, garantindo que ele seja formado por meio de processo eleitoral.

“Ao assumir o grêmio os alunos devem buscar espaço para participar das reuniões do Conselho de Escola, da APM, dos encontros de representantes de classe e fazer parte da organização do calendário escolar, negociando os interesses junto à direção, propondo ideias e desenvolvendo projetos culturais, esportivos, sociais ou de cidadania. É importante que eles busquem esse espaço e atuem para fazer da escola um ambiente de  aprendizagem que todos queiram estar”, recomendou.

A Secretária Municipal de Educação de Campinas, Solange Villon Kohn Pelicer, também prestigiou o evento e segundo ela o grêmio tem bem esse papel, de olhar o que está errado, de avaliar se esse errado é aos olhos de quem, e de fazer propostas. “Para cada crítica, uma sugestão e um elogio”, disse, citando o pedagogo Freinet.

Uma vez que isso é compreendido, os alunos entendem, quando parte de um grêmio, o que é e como funciona uma democracia, e que ela é feita de regras, e não cada um fazendo o que quer. “Com essa postura, essa relação com a escola, os alunos também melhoram as relações interpessoais, tanto com os pares, quanto com os professores, com a equipe gestora da escola, e até com a própria Secretaria”, completou.

Semeando Atitudes e o Fala Jovem são correalizados pelas Diretorias Regionais de Ensino Campinas Leste e Campinas Oeste, Secretaria Municipal de Educação, Fundação FEAC e Fundação Educar DPaschoal e integram o projeto Semana da Educação, no âmbito do Programa Educação da Fundação FEAC, que investe em projetos que contribuem para uma educação pública cada vez melhor, como pilar fundamental para o desenvolvimento da sociedade.

Texto originalmente postado no site da Fundação FEAC. Para saber mais, acesse: https://www.feac.org.br/educacao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *